segunda-feira, março 26, 2007

O Grande Português

Bem sei que não tem qualquer validade científica uma eleição em que os votantes é que telefonam para dar o seu voto. Bem sei que os 41% de Salazar significam, no fundo, "apenas" umas 60 mil pessoas. Mas a verdade é que me assusta um bocado pensar que alguém considere Oliveira Salazar como o maior português de sempre, e isto sem ser preciso recorrer a bastonadas ou tortura do sono.
Se calhar o homem é que tinha razão: para quê gastar dinheiro em eleições quando ele ganharia de certeza? Se deu esta coça ao Afonso Henriques e ao D. João II, que hipóteses teriam, sejamos francos, Norton de Matos ou Humberto Delgado?

Para registo:
1º António de Oliveira Salazar - 41,0%; 2º Álvaro Cunhal - 19,1%; 3º Aristides de Sousa Mendes - 13,0%; 4º D. Afonso Henriques - 12,4%; 5º Luís de Camões - 4,0%; 6º D. João II - 3,0%; 7º Infante D. Henrique - 2,7%; 8º Fernando Pessoa - 2,4%; 9º Marquês de Pombal - 1,7%; 10º Vasco da Gama - 0,7%

3 comentários:

pvl disse...

Eu também votaria no Salazar pela única exclusiva razão de "meter nojo" ao programa. Os portugueses não são burros e se votam no Salazar é porque não têm complexos de brincar com assuntos que para alguns são um tabu.

Agora a sério, qual seria o teu escolhido?

Para mim, sem dúvida, o Infante D. Henrique.

Rui Dantas disse...

Não tenho uma resposta única para isso.
O nosso maior governante, diria D. João II.
Nas letras, Pessoa ou Saramago (afinal de contas não temos muitos Nobeis).
Na cultura, talvez Damião de Góis ou Pedro Hispano (afinal de contas não temos muitos Papas).
Os nomes mais reconhecidos lá fora (exceptuando o Mourinho e o Ronaldo) talvez até sejam Fernão de Magalhães e S. António de Lisboa/Pádua, apesar de ninguém saber que são portugueses (o primeiro passa por espanhol, o segundo por italiano).
No século XX, parece-me que não há como não destacar Cunhal como tendo, pelo menos, a biografia mais interessante.

Jú disse...

Este programa, peca essencialmente, e na minha opinião, por não ter sido feito por áreas. Ou seja, há, de facto, imensos portugueses interessantes e "grandes", mas cada um na sua área!

Escolher UM "Grande português", está logo à partida errado, por isso, para mim perdeu grande parte do interesse que poderia ter!... Tal como diz o Rui Dantas na resposta anterior, "não tenho uma resposta única...", por isso, não votei e nem sequer dou grande importância ao resultado...

A parte boa do programa foi ter dado informação, terem feito ducumentários sobre cada uma das personalidades em jogo.